Quando sentimos o sofrimento, habitualmente identificamos sua fonte como “exterior” – outras pessoas, situações, o tráfego, o governo. No budismo, esta é uma análise incorreta, uma visão errada. O diagnóstico radical budista da nossa condição é que a fonte do sofrimento está nas aflições mentais. Quando elas são canalizadas em uma das diversas maneiras, nós sofremos. A fonte verdadeira do sofrimento não é “exterior”. As circunstâncias externas e as pessoas servem meramente como catalisadores para acionar algo que já está dentro de nós. A fonte do sofrimento não é nosso emprego, esposa, filhos ou outras variações do tema: “Eu estou sofrendo por causa deles ou por isso”. A fonte do sofrimento está enraizada nas aflições mentais.

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>