“A maconha afeta o chakra básico (energia de sobrevivência no mundo) e o do terceiro olho (consciência de outras realidades). A maconha, por sua atuação no chakra básico, atrai as pessoas que se sentem alienadas e desenraizadas. Essa é uma das razões do alcance de sua popularidade nos anos 60, uma década em que as pessoas se sentiram desligadas do passado, da família e das tradições culturais.

No corpo físico, a garganta e os pulmões são, em geral, as partes mais afetadas pelo abuso da maconha. Na área do chakra da garganta, a energia quase se paralisa e gera o medo de falar do que se viu nesse portal entre o sono e a vigília. A chamada “síndrome da desmotivação” é o estado em que o usuário da maconha fica, cada vez mais, com menor vontade de fazer algo e isto é o resultado dos danos que ocorreram na área do chakra do timo.

Como o tabaco e a mescalina, a maconha foi usada por curadores, videntes e buscadores do mundo espiritual. Entretanto, a visão ganha com o uso da meditação é mais profunda do que a obtida com o uso da droga – a meditação reduz a velocidade das ondas cerebrais de um modo seguro, o que não ocorre com as drogas.”

retirado do livro: 
Re-abrir o coração – Tratamento espiritual para viciados. Maria Duques. Editora Rosa dos Tempos

12 Comments

  1. Fumo maconha e é a primeira vez que eu vejo um texto contra a plantinha com fundamento..
    E olhe que já li muita coisa. 😉
    Parabéns e obrigado

  2. Que legal Anônimo grata por seu comentário! Repasse para seus conhecidos se achar adequado. Willian James já disse, faz muito tempo, que o ser humano tem necessidade de entrar em contato com outros estados de consciência. Concordo com ele. A questão é achar métodos que além disso não modifiquem seu campo energético. Convido vc a conhecer o Reiki por exemplo. Um ótimo método também neste sentido! Grande abraço!

  3. Muito bom esse seu post. Você não sabe o quanto me ajudou! Uns meses atrás eu fumei maconha com meus amigos, eu não tenho o hábito de fumar como eles porque, até então, eu só sentia sono quando eu fumava. Mas, nesse dia, eu senti como se eu tivesse conversando com eles meio que telepaticamente, como se eles tivessem dizendo os meus defeitos e o que eu tinha que fazer para superá-los. Só que até hoje eles dizem não ter feito nenhum "contato telepático" haha e até ficam rindo de mim porque eu fiquei calado o tempo todo. Eu cheguei a pedir pra minha mãe me internar porque eu achava que tava ficando louco! Mas eu lembro muito bem que eu a "conversa" acontecia pela minha testa, talvez por esse tal terceiro olho, e também tinha algo estranho meio volumoso e quente justamente no lugar do chakra básico, que você citou e que eu não sabia nem da existência disso. Você pode dar alguma dica de como eu posso voltar àquele estado ou como eu posso desenvolver isso? Porque eu tive essa experiência sem querer e eu pensava que os meus amigos estavam dizendo telepaticamente que eu tava com câncer de próstata! Olha a minha ignorância. Mas agora eu entendo que talvez eu tenha que desenvolver o meu chakra básico ou algo assim. Como eu posso fazer isso? Se tiver algum email de contato, eu fico grato.

  4. Olá Anônimo, bem vindo! Parece que o que você deseja desenvolver é a sua mediunidade, procure cursos. Existem métodos mais seguros para isso do que o uso de substâncias como a maconha. Além disso, seria interessante estudar um pouco sobre os chakras para poder compreender melhor essa parte da anatomia sutil. Qualquer coisa estou a sua disposiçao pelo e-mail sandra6terapias@gmail.com
    Grande beijo, Sandra

  5. Adorei seu texto. Estava a procura de um texto que me explicasse a relação da maconha com o Chakra da gartanta, pois quando fumo sinto pressão na area da garganta. Sigo tradicao indigena, fumo maconha, tomo rapé, tomo Ayahuasca, faço reike (pelo menos uma vez por mes), tomo Florais, escuto mantras, pontos de cablocos. rs Bastante coisa. Obrigada pelo texto.

  6. Evidentemente que a sociedade faz mau uso da maconha, sem um certo respeito pela planta, sem auto conhecimento, ela deixa perceptível as energias que estão ao redor…, tive experiências horríveis quando a egrégora e a energia do ambiente estavam pesadas, mais tive momentos de integração, e divinação com a natureza quando fumei no meio da floresta…toda planta tem uma função na medicina sagrada… A nossa querida mestra Ayahuasca, a salvia são plantas de PODER, e o poder é aquilo que vc tem nas mãos e decide oque vai fazer.

    Gratidão pelo seu texto Muito conhecimento ! Abraço !

  7. Olá, Sandra!
    Me impressionei muito com o seu texto.
    Pois ha três anos eu fumei maconha e desde então não fui a mesma. (Eu já havia fumado outras vezes, mas essa vez foi cheque-mate.)
    Me sinto em uma outra dimensão, lentificada, vejo as coisas de um outro ângulo, acho que tudo é comigo, sinto ódio das pessoas, me sinto "voando"…Sinto que a minha alma está fora do meu corpo.
    Você tem noção do que pode ser isso?
    Você pode me dizer o que é isso??
    Fico no aguardo!
    Thaís 🙂

  8. Olá Thaís, bem vinda!
    O que vc relatou é descrito no texto acima, por isso vc se identificou. Vc descreveu no seu relato como o nosso corpo energético pode ser afetado. A sensação de voar e se sentir fora do corpo por exemplo se relaciona com o bloqueio do chacra básico. O que aconteceu é que o seu corpo energético foi afetado, e por algum motivo isso continuou, mais isso tem tratamento. Seria interessante trabalhar estas questões num processo terapêutico (poderíamos usar técnicas energéticas com o Reiki e Florais, entre outros). Você tem disponibilidade? Também é importante que vc não fume mais, obviamente. Vamos conversar via e-mail?
    Grande abraço de luz

  9. Ola flor, eu gostaria de falar com vc sobre algummas coisas , esse texto e muito interessante, vc pode me add no facebook? Doares karine , sou uma morena/negra e tenho uma filha de 5 meses, ela esta na capa do facebook. Abracos e aguardO retorno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>