Fala-se muito, faz-se pouco, por quê? Sempre atendo pessoas que querem meditar, querem ter uma vida melhor, ficar “zen” e não conseguem. Por quê? Existem muitos fatores que levam ao fracasso na prática de meditação. Existe um entendimento equivocado de como a meditação funciona e como praticá-la. Alguns pontos devem ser observados como a escolha do método, a freqüência e a duração.
Desta maneira, a primeira questão que deve ser considerada é a escolha do método adequado. Estilos de meditação não faltam. Assim como existem diversos tipos de seres humanos, existem diversos tipos de meditações, adequadas para cada tipo de pessoa. Como escolher? Uma regra é básica: se você está começando escolha algo que você consiga fazer! Que seja fácil para você. Muitos escolhem meditações que nunca conseguirão fazer; de que adianta? A meditação já irá trazer desafios durante a prática; não é necessário ter mais uma dificuldade.
Após escolher o estilo de meditação é necessário determinar a freqüência e duração. Geralmente, nesta parte do processo muitos costumam desistir, pois acabam não seguindo conselhos básicos dos grandes meditadores. Comece com pouco e tenha disciplina! Se você começar querendo meditar 1 hora por dia ficará desanimado e nervoso. Assim, comece com 5 minutos e depois vá aumentando o tempo. Se meditar não for um fardo, você terá vontade de continuar e aos poucos você pode ir aumentando em um minuto, por exemplo.
O importante é criar o hábito, e talvez esse seja um dos maiores desafios. Para ajudar a criar o hábito você pode determinar o horário da sua meditação e o local onde irá praticá-la. Pode determinar que todo dia pela manhã fará sua prática, pode criar um local na sua casa para isso, fazer um altar ou algo semelhante. Sempre lembrando que tudo isso tem o foco de facilitar a sua prática e não dificultá-la. Às vezes escuto a seguinte desculpa: “Ah, Sandra! Parei de meditar porque mudei de casa, não consegui arrumar um lugar legal para praticar… não consigo mais praticar de manhã porque tenho que sair muito cedo, etc.,etc.,etc.”. Você pode praticar até no banheiro! E pode escolher o horário mais adequado para sua prática também!
Cuidado! Sua mente pode dar argumentos muito criativos para dificultar sua prática de meditação, afinal, ela tem medo de ser domada!

Sandra Chander Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>