Compreender e expressar nossas emoções é o primeiro passo para prevenir enxaqueca, dor nas costas, alergias e outras doenças.

 A cura está em entender as mensagens do corpo e olhar para dentro de você mesmo.

lsso que os orientais sabem há milênios só recentemente a medicina ocidental reconheceu: os males que afetam o corpo também têm raízes nas emoções e no estado de espírito. ‘Nosso corpo é formado de matéria e energia.
As doenças se instalam quando o fluxo de energia está desequilibrado, e as causas são tanto externas quanto internas’, explica Mauro Perini, ginecologista e especialista em medicina tradicional chinesa, de São Paulo.
Portanto, não são apenas os vírus, os maus hábitos alimentares e o abuso de álcool e fumo que prejudicam a saúde mas também a tristeza, o desânimo e a raiva.
Para entender como os sentimentos negativos podem se transformar em algo tão pesado e até desencadear doenças, é possível compará-los à chuva. A princípio, há apenas uma certa umidade no ar – que corresponde, no ser humano, a sentimentos que incomodam sem que se perceba.
A umidade começa a se condensar em nuvens leves – idéias, pensamentos e emoções já perceptíveis, mas ainda pouco consistentes. As nuvens se adensam até se transformar em chuva (sentimentos negativos, como ressentimentos e tensões), que cai sobre o solo – nosso corpo. Quanto mais forte a chuva, mais problemas ela é capaz de provocar.
A comparação está no livro francês Dis-Moi Où Tu As Mal, Je Te Dirai Pourquoi (Diga-Me Onde Dói e Eu Direi Por Quê, Editora Campus), de Michel Odoul.
O organismo dá sinais que evidenciam o problema antes que ele se manifeste. ‘Percebê-los nem sempre é fácil, pois exige olhar para dentro de si‘, afirma Susana de Albuquerque Lins Serino, médica e psicoterapeuta de São Paulo que trabalha com psicossomática (o estudo das influências psíquicas nos problemas orgânicos), Muitas vezes, basta notar as pequenas contrariedades do dia-a-dia para descobrir o que não vai bem. ‘Se alguém apressado bate o joelho em uma cadeira e não pára para pensar por que vive distraído a ponto de não ver onde pisa, vai se machucar o tempo todo’, exemplifica Susana. ‘Se não damos atenção à dor de cabeça, ao cansaço, à irritação permanente, o problema vai sempre seguindo adiante até que, a certa altura, o corpo trava.’
estado emocional fragilizado pode até abrir espaço para ataques de agentes externos, como vírus e bactérias. O médico Mauro Perini dá o exemplo da tuberculose: ‘Atualmente, apesar dos antibióticos e das vacinas, a doença, que estava controlada, volta a crescer, exatamente quando vivemos uma época de desemprego, fome e guerras.
A tristeza enfraquece o pulmão, e um órgão fraco não consegue se defender’.
Chave da cura
Seja qual for o problema, ele geralmente exige um mergulho em nossa sombra, no lado escuro, que nos recusamos a encarar. Se o mal-estar tem uma causa interna e profunda, o restabelecimento só virá quando a questão for resolvida. ‘Não existe cura se não tentarmos identificar dentro de nós o que está errado e lutar para resolver o problema‘, ressalta a terapeuta Susana Serino. ‘Ficar doente é uma oportunidade de conhecer e encontrar nossa própria capacidade de cura’, conclui. Saiba como funcionam as relações entre as partes do corpo, os sentimentos e as doenças mais comuns, segundo o médico e psicoterapeuta alemão Rüdiger Dahlke, autor dos livros “A Doença como Linguagem da Alma” e “A Doença como Símbolo” – Pequena Enciclopédia de Psicossomática (ambos da ed. Cultrix).
PELE – o maior órgão do corpo serve como barreira aos agentes externos. Além de delimitar nosso corpo, é por meio dela que fazemos contato e recebemos carinho. Problemas cutâneos são sinais de dificuldade em nos comunicar. Em estabelecer e respeitar limites e se relacionar com as pessoas.
COLUNA – todo peso do corpo e por extensão do mundo é sustentado pela coluna. Se você agüenta um fardo extra , como uma responsabilidade que não deveria ser sua, é a coluna que sofre. Quando nossas crenças são abaladas, esse sistema de sustentação do corpo enfraquece. Quem anda com as costas curvadas e o rosto voltado para o chão, mostra desgosto em viver e sentimento de inferioridade. Para encarar a vida de frente e olhar para cima, o primeiro passo é endireitar a coluna.
ARTICULAÇÕES: movimentos difíceis e dolorosos sinalizam dificuldade de seguir em frente em algum ponto da vida, ou ainda que o corpo pede descanso. Dores nas articulações são frutos de rigidez de pensamento, do bloqueio de manifestações de choro ou raiva por exemplo, e da negação de lidar com assuntos antigos, mas que causam incômodo. Quem acorda travado, sem condição de levantar da cama, pode estar exigindo demais do corpo que acaba providenciando o repouso forçado.
ESTÔMAGO: quem se preocupa de forma exagerada ou por antecipação e rumina ressentimentos está propenso a problemas nesse órgão, que recebe e processa as impressões vindas do exterior assim como faz com os alimentos. Uma das doenças mais comuns em executivos é a úlcera. Eles costumam ser obrigados a aceitar uma contrariedade atrás da outra no dia-a-dia.
SISTEMA IMUNOLÓGICO: quando as defesas do corpo estão debilitadas, uma manifestação comum é a alergia. O organismo confunde uma partícula inofensiva, pólen por exemplo, como um agente perigoso como um vírus ou uma bactéria, e ataca causando sintomas como espirros e coceira. Isso reflete agressividade inconsciente, de alguém que luta contra tudo sem saber diferenciar o nocivo do inócuo.
PULMÕES: o ar entra nos pulmões e traz com ele o que é exterior ao corpo. Quem tem dificuldade em assimilar o que vem de fora e age como se tudo que acontece de errado fosse culpa dos outros, pode apresentar problemas como pneumonia e asma. Solidão, melancolia, tristeza e dificuldade de perdoar, agem negativamente sobre o pulmão, pois significam falta de intercâmbio e comunicação com o mundo exterior.
INTESTINO: não é à toa que se diz que gente mal-humorada é enfezada. Intestino preso é sinal de raiva acumulada, tensão e falta de flexibilidade para deixar as coisas fluírem, por medo, timidez, ou dificuldade de perdoar. Já a diarréia, mostra a falta de capacidade de absorver informações e elaborá-las. Quem rejeita tudo o que se apresenta e não consegue assimilar novas experiências está sujeito a intestino solto.
CABEÇA: é o sistema central do organismo, por onde passam emoções, pensamentos e impulsos nervosos, por isso uma dor de cabeça pode refletir algo que esteja acontecendo em qualquer parte do corpo. Enxaquecas estão associadas a dificuldade de tomar uma decisão ou aceitar algo que incomoda. Quem pensa demais e não quer fazer algo, muitas vezes usa a dor de cabeça como desculpa.

http://vivaemharmonia.com/index.php?option=com_content&view=art…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>